sexta-feira, 6 de março de 2020

Como evitar o desperdício alimentar? A lista de compras


Como evitar o desperdício alimentar?
Ao evitarmos o desperdício estamos a poupar e a rentabilizar o nosso dinheiro. Por vezes, basta um pouco de organização e disciplina para o conseguirmos fazer.

Dicas para reaproveitar e poupar:

1. Planear as refeições da semana
Planear o que iremos preparar, ajuda-nos a rentabilizar as nossas compras.
O planeamento das refeições é um método que nos ajuda a preparar as refeições da semana, evitando estar sempre a pensar sobre o que iremos cozinhar. Planear o que iremos preparar, ajuda-nos a rentabilizar as nossas compras.

2. Cozinhar de acordo com as necessidades
Ao cozinharmos para a semana devemos ter em conta o nosso planeamento e ajustar as quantidades às nossas necessidades. Quantas refeições na semana iremos fazer em casa? Para quantos membros da família? - estas são algumas das questões que devemos colocar. Sabendo as nossas necessidades, depois é mais fácil sabermos o que precisamos de preparar.

3. Organizar a despensa
A organização da despensa é fundamental para conseguirmos não desperdiçar. Uma despensa organizada ajuda-nos a identificar os ingredientes que temos, os que estão quase a acabar e os em fim-de-validade.

4. A lista de compras
Por vezes, ao vermos certos produtos nas prateleiras dos supermercados entusiasmamo-nos e trazemo-los para casa, sem termos uma ideia definida sobre como os usar. Fazer uma lista de compras é essencial.

A lista de compras é a orientação, o sentido a seguir. Pode haver um ou outro desvio, mas lembrem-se o que o que escreveram, é aquilo que realmente precisam.

Escrever uma lista do que precisamos é uma forma de poupar, minimiza o impulso de comprar no momento, e ajuda-nos a não desperdiçar.

Para efectuar a lista de compras é importante sabermos o que iremos cozinhar ou como iremos realizar as refeições da semana, por isso ajuda fazermos, previamente, o planeamento das refeições.

Para vos facilitar a elaboração da lista de compras coloquem um quadro - existem uns magnéticos -, por exemplo, na porta do frigorífico, e vão anotando os produtos que fazem falta ou que estão a terminar.

Caso prefiram podem criar a vossa lista de compras no telemóvel usando por exemplo o Google Keep ou o OneNote. Hoje em dia, existem aplicações criadas de raiz a pensar nas listas de compras, que permitem partilhar a lista com a família e assim todos podem ir acrescentando os produtos de que precisam.

Como andamos sempre com o telemóvel, as aplicações podem ser também uma boa ajuda. Caso queiram optar por ter uma aplicação, encontram por exemplo, a Bring, Out Of Milk, Listonic, entre outras. Há cadeias de supermercados que disponibilizam aplicações que permitem aos seus clientes elaborar a lista de compras.

Ter acesso à lista de compras através do telemóvel pode ser a solução para quem se esquece da lista das compras, muitas vezes, em casa. A ida às compras sem a lista, segundo a minha experiência, é sinal de que algo não vai correr bem.

Sejam realistas nas vossas compras. Se tiverem como objectivo incluir mais legumes nas refeições, vejam o que realmente conseguem usar. Não é necessário comprarmos mais do que aquilo que iremos conseguir consumir numa ou duas semanas. Os frescos, por exemplo, tento comprar semanalmente. Caso queiram introduzir novos vegetais, façam-no de forma gradual.

As compras on line podem ser também uma boa alternativa. São até uma excelente forma de nos cingirmos a comprar exactamente aquilo de que precisamos, sem levarmos mais isto ou aquilo por que sim.

4.1 Como organizar a lista de compras?

Uma forma de organizar a lista de compras é identificando categorias. Por exemplo:
  • Vegetais;
  • Frutas;
  • Padaria;
  • Charcutaria;
  • Bebidas;
  • Produtos de higiene e limpeza;
  • Congelados;
  • Laticínios e ovos;
  • Carne e peixe;
  • Cereais e sementes;
  • Enlatados;
  • Especiarias;
  • Condimentos;
  • Outros.

No dia-a-dia, depois é só ir colocando os itens a comprar nas devidas categorias.

Nas minhas idas às compras, sigo quase sempre a mesma dinâmica. Começo nas frutas e vegetais, aproveito e espreito a florista. Depois sigo para a secção de padaria/pastelaria, passo pela zona de charcutaria, secção de bebidas, produtos de limpeza, utilidades, congelados, leite e iogurtes, carne e peixe fresco, e por fim a mercearia. No fundo é seguir, mais ou menos a organização das secções do supermercado, para não andarmos para a frente e para trás. Opto por fazer a mercearia no fim, porque, nos supermercados onde vou, fica perto das caixas de pagamento.

À medida que vou fazendo as compras, com a lista, faço também o controlo do que já comprei. Se a lista estiver em papel, é só ir riscando o que já temos no carrinho de compras.

Cada família deve escolher o método que melhor se adequa às suas dinâmicas. Em papel ou no telemóvel. Partilhada entre todos os membros ou não. Organizada por categorias ou simplesmente uma lista com o nome dos produtos a comprar.

Lembrem-se que a lista ajuda-nos a ser mais eficientes, a não esquecer itens e, no fundo, a não perdermos tanto tempo nas compras.

Uma lista de compras organizada ajuda-nos a não desperdiçar. Permite-nos comprar de acordo com as nossas necessidades. E ao não desperdiçar, estamos a poupar!

Sem comentários :

Publicar um comentário